domingo, 31 de janeiro de 2016

Colisão

Tento parar e respirar fundo em meio a todo este turbilhão, mas é muito difícil. Hoje quando acordei me veio como uma brisa, o sentimento de saudades de você, de tudo que costumávamos planejar. Observo variados tons de vermelho em minhas vestes, será que desta vez fui longe demais? Sinto a dormência causada pelo vento contra meu corpo, por toda a minha pele, solto meus braços de teus ombros e mantenho-os abertos, cabeça pendendo para trás a observar o céu estrelado, sentindo o movimento. Agora sinto o calor de seu corpo sobre o meu, em êxtase, me perco entre as curvas de teu corpo. A chuva cai lá fora, aprecio-a através da janela, ela jamais chegará até nós. Teu sorriso é tão perigoso e perfeito, aquele seu olhar quente, o qual sempre parece querer revelar algo que tento decifrar, mas não consigo, ele conduz-me a um profundo abismo. Milhões de pensamentos, o meu, o teu, em convergência, colidindo contra um zilhão de barreiras. Abri mão de minha vingança e agora sinto-me mais leve, deitada em teu peito, seu corpo quente sobre o meu frio, nossas línguas se encontrando, sinto a sua a deslizar por minha barriga, meus seios, pescoço, ouvido e então arrepio-me toda. Gosto de beijar os lábios que encondem-se entre tuas coxas, chupar, lambuzar o mesmo e sentir minha mão a deslizar por cada centímetro de tua barriga definida, cada parte de seus bíceps e tríceps, sentir teu prazer a escorrer para dentro de minha boca.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Meu lamento

O que te dá o direito de achar que pode sair e entrar na minha vida, ir e vir quando bem entende? Não, não vou ser mais seu maldito prêmio de consolação, procure outra cama, outro travesseiro para deitar a cabeça durante a noite. Um dia alguém ainda irá brincar com você, e então saberá como me sinto. Isso tudo parece uma grande brincadeira de mau gosto do destino, ou talvez seja apenas o que eu mereça depois de tanto tempo brincando com os outros. E agora estou aqui mais uma vez, como uma maldita marionete deitada a seu lado, onde você faz de mim o que bem entende, me usa e me abusa e apenas suporto tudo a seu lado calada. Parece que o jogo todo se voltou para o meu lado, talvez seja uma maldita vingança divina, ou apenas uma fatalidade, nunca se sabe. Sequer queria saber onde foi que nos perdemos, apenas não queria me encontrar aqui em teus braços pela milésima vez. Nunca disse que foi fácil aguentar todo o mal que me fez, mas pra estar aqui novamente talvez eu até seja do tipo que simplesmente esquece, ou meu orgulho foi todo pelo ralo da pior forma possível.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Adrenalina

Três carreiras de pó, você cheira e continua querendo mais, essa é a triste realidade da vida, nada glamourosa, porém bem interessante e convidativa. Viva de verdade menina, deixe de ser medrosa, viver com medo é viver pela metade. Ceda a pressão da sociedade, aquela que dita que se você não faz o que todos fazem então você não é legal, é careta, cafona. Tome um tablete de erva, e toda a dor passará, todos os seus problemas passarão, pode até mesmo ser algo ilusório, momentâneo, porém continua sendo melhor que nada. Tome uma balinha, um doce, um ecstasy, e dance a noite inteira, como se não houvesse amanhã, e a cada vez você vai se acostumando com a dor de cabeça e o enjoo do dia seguinte. A cada vez precisará de mais drogas, uma maior quantidade para ficar ligada, sentir a onda, é assim que lucramos, tomando sua mente e seu bom senso aos poucos, pode ser um trabalho árduo no começo, mas vai se tornando cada vez mais fácil, a droga que no começo parecia muito perigosa agora já não é nada de mais, você precisa de algo muito mais forte, pois precisa desesperadamente da sensação de adrenalina correndo pelas tuas veias.

Ausência de dor

Estava a admirar aquele casal que me parecia tão feliz, o sorriso apaixonado dela tão bonito e radiante, e não parava de pensar que queria que fôssemos nós dois ali, no lugar daqueles dois seres. No escuro eu admirava sua face, não conseguia visualizar tuas feições, teu olhar e sequer teu sorriso, mas sabia que o mesmo estava tão bonito quanto. Observava a lua, as estrelas, a imensidão de tudo aquilo me perguntando porque a vida tem que ser assim, tão convidativa e ao mesmo tempo com o que se quer tão distante, como o que temos. Escuto aquela música a seu lado, enquanto fecho os olhos e aproveito os últimos momentos juntos. Agora o sol bate em nossas peles, onde nem mesmo a sombra das árvores é suficiente para nos proteger, mas já não sinto a dor, não sinto as queimaduras, aguentei tudo que eu poderia aguentar, encontro-me anestesiada.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

O ponto

As coisas mudam, agora finalmente sei que acabou, algo que não conseguia enxergar, já que as coisas transformam-se tão rápido diante de nossos olhos. A mão que passava sobre minhas veias agora já nem toca mais minha pele, o amor deveria ser algo natural, mas eu consigo sentir o desgosto vindo do interior de qualquer ser humano que já o experimentou. Então não tentem passar-me uma visão otimista do mundo alegando que vale à pena o sofrimento, nada deveria ter o direito de fazer-nos sofrer, quando somos soberanos sobre nossos próprios atos. Seja realista, pare e pense, ninguém amaria ninguém se as pessoas realmente procurassem se conhecer antes, elas apenas fingem ser quem não são por medo de acabarem sozinhas no final, o que é feito em vão, já que todos tem o mesmo fim, estamos todos sozinhos no fechar de nossos olhos, pode ser triste porém a maior verdade de todas, o mais sincero que alguém será em toda sua vida, então de que adianta fingir?

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Um ode à liberdade

Apenas mantenha a mente aberta, escrever é o que me define, faz parte de quem sou, mesmo que seja escrever sobre inutilidades em minha vida como você. Nos impulsiona a sonhar, acreditar, ou até mesmo pelo menos quem sabe relevar as coisas que não ocorrem do jeito que queremos. Quero quebrar as correntes que me prendem a qualquer lugar, sou livre, todos nós somos, compromissos não fazem alguma pessoa pertencer a outra, apenas mostra o amor que sentem. Não sei a razão pela qual achei então que me sufocava, que me prendia a você cada vez mais. Quero admirar a beleza de uma paisagem, a liberdade de um pássaro, comprovar o fato de que não é só porque o mesmo tem asas para voar que nele habita mais liberdade do que em nossos interiores, apenas leve-me daqui, liberte-me dessa prisão que eu mesma criei e serei livre novamente. Sozinha, porém feliz.

Realidade mutável

Não te devo mais nada, apenas me pergunto, será que algum dia nos encontraremos na rua e será como se fossemos completos estranhos? Não quero partir, porém devo isso a mim mesma e a mais ninguém, não quero mudar, a ponto de sequer reconhecer a mim mesma quando olhar no espelho. Existem músicas que nos lembram momentos tristes e as que nos lembram de momentos felizes, no fim parece que é tudo a mesma coisa, o caminho é sempre o mesmo. E quando você está finalmente vivendo deve aprender a se esquecer dos outros, pensar em si mesmo, pois eles jamais te colocariam em primeiro lugar também. Não se trata de egoísmo e sim apenas da lei natural de tudo, a primeira grande lei de todas as coisas, amar a si mesmo, ou no mínimo aturar-se assim como o faço. Vamos pintar um novo quadro em branco, novos personagens surgem, nunca me canso de planejar novas vidas, novos rumos, ao saber que somos os seres dominantes de todo o universo, que tudo está em nossas mãos, podemos ser mágicos, palhaços, o que quisermos, quem quisermos ser, essa é a grande maravilha do ser racional.

Stranger

You loved me since the first time, until the end, but trust is a gift that few can have. So let tear us apart, because I can't stand this anymore. I drove in a road which there's no ending, no turning back, and the edge seems so close, so inviting. Let's go back to where it all began, and pretend we're just two unknowns, hello stranger, I dreamed of you all my life, and now I must act as if I even know you. Don't knock in this door again, or all this will repeat one more time. I don't wanna suffering in my life again, and I fear that you also don't want to.

Fênix

Você me rasgou de dentro para fora, tomou toda minha vitalidade, quando tudo que eu queria era apenas mais uma chance. Não irei mais chorar pelo que passou, erguer a cabeça, seguir em frente e simplesmente viver parece ser o melhor caminho. Como viver uma vida independente não faço ideia, mas aquela vida que arrancaste de mim já não existe mais. Você fez isso comigo, despertou isto em mim, aquele lado que parece querer me matar constantemente. Porém não fugirei mais como uma criancinha assustada, irei estrangular este lado que em mim habita e renascer, das cinzas do que um dia fora eu e você. Não irá doer, não mais, neste limbo no qual nos encontramos jogados a dor não habita, e nele aguardarei até que o ceifador venha buscar-me. Nossa história não é uma das mais trágicas como a de Romeu & Julieta, apenas tem essência mais real, onde o mocinho apaixona-se pela mocinha, e então ninguém mais pode salva-los disso, porém nunca me encaixei muito bem nesse papel de mocinha, talvez seja exatamente por isso que escolheste outro caminho, a necessidade de alguém mais frágil, alguém que não o iluda tanto. O famoso estereótipo do papel forte masculino e do papel frágil feminino, jamais serei a menininha que esperam que eu seja, sou apenas eu mesma e ninguém pode mudar quem realmente somos, nem mesmo o maior dos amores, ele no máximo nos molda.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Despedida

Impressione-me com teus mais instigantes versos, com as mais belas musicas, jamais será o suficiente, como você quer que me sinta? Tudo que posso fazer é achar que não sou motivo suficiente para que fiques, para fazer-lhe feliz. Vejo toda a imensidão do universo dentro de teus olhos escuros, porém de que adianta observa-los tanto? Não queria ter escorregado de teus braços, aquilo decepcionou-me tanto. As manchas no tecido não saem, assim como as que deixou em minha pele, e os rebocos que deixou em minha capacidade de julgamento ao próximo. Espero que algum dia se encontre, assim como em dado momento me encontrei em seus braços. Enquanto implorava a fim de que fosse embora, por dentro torcia constantemente para que não atendesse a meu pedido.

Gozo do desconhecido

Me importo apenas com meu prazer, saciar-te é algo que não me convém, não mais. Agora quero apenas o que atiça-me o tato, o olfato, a audição e o paladar, principalmente o paladar. Não interessa-me sofrer, mesmo que seja por um bom motivo, quero apenas saber de beijos quente, maduros e ao mesmo tempo imaturos como o teu. Onde brincas com a língua no céu de minha boca, enquanto o gosto do beijo mistura-se ao do cigarro. Quero que as pessoas se masturbem pensando em mim, apenas em mim, tanto homens quanto mulheres, não importa. Sentindo o prazer do desconhecido, do inimaginável. Vi uma semelhança dele em ti, por que não sei, isso me deixou confusa. Toda vez que fecho os olhos são teus olhos claros como o mar que me vem a mente, mas para você sou apenas uma foda fácil, sejamos realistas, e então suas atitudes transformaram-me no que sou hoje.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Imaginar

Mente vazia, pensamentos aleatórios, porque não fazer a mesma coisa? Devolver na merda moeda! Mente pensa, analisa e vê que não vale à pena pois não sou assim, sempre vivi e vou continuar vivendo a minha maneira. As escolhas que fazemos mostram quem realmente somos e o que queremos. Confiança é algo muito difícil de se conseguir, mais ao mesmo tempo frágil a qualquer tipo de dano sofrido, e o caminho para o reparo é mais difícil ainda. Autor: Cristopfer Luis

O último suspiro

Pessoas sempre pensam que sua vida é complicada e difícil e fecham sua visão para o mundo, sempre sou eu, isso só acontece comigo, minha vida é uma merda, eu não presto e etc, mas se olhar de outra maneira sempre têm pessoas que passam dificuldades parecidas ou até piores, o que realmente importa é como encaramos esses problemas. Medo das escolhas, medo de mudar, mas uma hora as coisa têm que mudar, não sei quando esse medo me invadiu, só sei que ele está ali destruindo-me aos poucos, busco uma razão para viver, mas nada mais me agrada, tudo e todos parecem querer me machucar, continuo a cair em um abismo que parece não ter fim, sinto-me vazio. O que realmente é felicidade? Beber? Fumar? Sair a noite? Ou apenas os simples momentos em que esboçamos um pequeno sorriso. Pessoas a todo custo tentam me destruir, me eliminar e toda hora me pergunto vale à pena? Cheguei em um momento que não sei, pois se penso sofro, se sinto me magoo, me é pedido confiança, mas como posso confiar tanto quanto antes? A confiança nunca mais será a mesma, pois o medo construído está presente e ele ali irá permanecer até o ultimo suspiro que eu der. Autor: Cristopfer Luis

Escombros

Uma pessoa complexa, nada fácil de entender, apenas alguns conseguem entender, e pouco, o que se passa em sua mente. Mas na verdade ninguém sabe de nada, eles não sabem nada, apenas acham que sabem alguma coisa e por acharem pensam que tem algum direito, quando na verdade não tens nada. Medo de sentir, medo de viver, medo de tudo e de todos, quando isso irá parar? Quando iremos seguir e viver na esperança de algo bom, de uma final feliz e alegre, de algo que de tão simples nos estimule sentimentos nunca imaginados. Olhos cheios de lágrimas, mente atordoada, tudo alimentando o medo do homem, medo de errar, medo de amar e de se magoar. Confiança é algo difícil de se conseguir, e muito frágil, pois qualquer ato que venha a quebra e a confiança gerada nunca será a mesma, será o medo? Noite atordoante, paciência se esgotando, cansaço aumentando, assim fica difícil superar os problemas da vida. Nunca acreditei em amor à primeira vista, isso para mim é algo que não existe, pois amor se constrói, mais não adianta levantar paredes onde não há alicerce, pois se forçar uma hora tudo irá desmoronar e irão restar apenas escombros. Autor: Cristopfer Luis

Só pode ser ela

Olho fecha, mais não consigo dormir, mente pensa, preocupada de como ela está, se ela está bem, se ela está mal. Ela é meu porto seguro, minha razão de viver e permanecer sorrindo. Olhos pesam, mente pensa, relembra coisas boas e coisas ruins, alegrias e decepções, a razão diz: Penso no agora, esqueça o passado, mas nem tudo é fácil, uma hora esse sentimento passa e tudo que irá importar é ela e seu lindo sorriso. Minha mente pacífica e tranquila se descontrola se o assunto é ela, não sei agir nem pensar direito, apenas sinto, sinto um desejo forte, tão forte que consome de uma forma que perco totalmente a razão e apenas a desejo. Continuo a pensar nela, no seu olhar, na sua boca, em como ri quando está comigo, como muda seu humor de uma hora para outra. Gosto de tudo nela, eis a questão, amar é fácil, aceitar a personalidade de uma pessoa que é difícil. Autor: Cristopfer Luis

A possibildiade do amor próprio

No dia em que você aprender a se amar, irá compreender o que sinto por você. Vivendo cada dia, uma nova experiência adquirida, uma nova verdade encontrada. Viver é sonhar, ser feliz, entender a si mesmo para entender os outros. Minha paz e ao mesmo tempo minha destruição, onde isso poder dar? A um final feliz ou a uma desenhada destruição? A cada dia um novo viver, um novo sonhar, e uma espera de que dessa vez será diferente, que tu irá acabar bem. Preso à floresta de pedra em busca de uma fuga, um lugar de conforto, onde basta apenas viver o momento e nada mais importa. As pessoas e suas visualizações conturbadas do mundo, onde não acreditam no que estão vendo. Do que as pessoas são capazes? Existe algum limite do que elas podem ou não fazer. Muitas pessoas fazem coisas sem pensar em depois se arrependem, a vida é feita de escolhas e a melhor maneira de viver e não olhar para trás. Autor: Cristopfer Luis

Libertação do ser

Teu beijo terno, demorado, mais ao mesmo tempo tão intenso e apressado quando pressiona-me. Porem depois que o mal é feito uma única vez a tendência é piorar, a culpa vai diminuindo com o tempo, torna-se um ato prazeroso e não mais culposo você foi meu legitimo brinquedo, com qual fiz o que quis. Agora sou má? Por interpretar o papel de vilã, e agir exatamente como queria que eu agisse. Observo a frenética linha amarela, enquanto te sinto a me abraçar pelas costas, deslizar a mão pela minha barriga, beijar minha nuca. Gosto quando estás gozando, no ápice, e começa a meter vagarosamente, liberando os últimos resquícios de sua sanidade, libertando completamente teu ser.

Reconstrução do ser

Não sei se consigo ser feliz assim, vivendo de incertezas, não posso dizer que não consigo entender seu ponto de vista, apenas penso no quanto as coisas poderiam ser diferentes, é uma pena atitude não mudar nada. Queria poder reprimir o que sinto por você, talvez eu realmente facilmente lhe trocaria pela mulher que quisesse logo algo sério, se apenas em meus sonhos posso beijar teus lábios, desejo nunca acordar. Não quero que vejas o monstro que habita dentro de mim, aquele que sai para brincar enquanto dormes. Acompanho o balanço da agua, permito que ela me conduza, porque me sacrificaria, porque me importaria, por mim? Não vale à pena. Jamais deveria ter destruído aquela minha parte que não se importa, agora entrego-me a ela mais uma vez, e nada pode mudar isso, não desta vez.