segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Verme


Você me vê em vários aspectos, mas não sabe o quanto realmente mudei. Julgue como quiser, mas a verdade é que nunca poderá entender meu interior. E já te basta ter que viver a vida de outra pessoa, depois de tirar o que eu tinha de mais valioso. Não pense que vou descansar até que minha vingança esteja completa. Não importa o quanto a morte dela foi rápida e sem dor, o que realmente importa são seus atos de verme. Perdão é uma palavra que não existe no meu vocabulário, afinal, sangue se paga com sangue, então prove do seu próprio veneno.

† Ðαяk † Åиgєℓ

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Cães do inferno


Alguém olha tudo de um monte, apenas observando de cima, enquanto há pessoas lutando por sobrevivência. Acabei de abrir os olhos, no meio do nada, não sei onde estou, vejo apenas água a minha volta. O que aconteceu? Que mundo estranho é esse? Divisões da população, os famosos vão para um lado, pessoas normais como eu vão para o outro. E existem alguns que ainda tem coragem de dizer que o mundo é justo, que há igualdade. Consegui achar um caminho, só preciso descobrir para onde estou indo, tudo aqui me parece familiar, encontrei meus amigos, pessoas que se dizem capazes de lutar e morrer por mim. Estávamos juntos, mas depois de um tempo me perdi deles, tive que lutar sozinha, ser forte o suficiente para reencontra-los do outro lado. Pergunto a todos o que está havendo, só quero saber o motivo disso tudo, quando alguém finalmente tem a coragem de virar-se pra mim e dizer: isso é o fim do mundo, Deus levou todos os outros, e nos deixou aqui na terra para sermos testados. Então simplesmente me acalmo e digo: eu não quero ser testada, não preciso disso pra conhecer meu destino, só espero que os cães do inferno não demorem a vir me buscar.

† Ðαяk † Åиgєℓ

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Jogo da Morte


Uma casa abandonada, um fantasma solitário, condenado a viver com as marcas das feridas, e as lembranças de quem o matou. Atormentando todos que ousam chegar perto de seu lar, ele não quer justiça e muito menos vingança, quer apenas prazer, diversão. São todos instrumentos de sua fúria, se quiser aproxime-se, sei que realmente é tentador, a sensação de perigo, o frio na barriga que arrepia até a última parte de seu corpo. Muito mais perigoso do que pensas, ele sabe exatamente o que se passa em sua mente, pode dilacerar cada membro e acabar com sua existência em apenas um segundo. Mas se você prefere, continue sorrindo, sem levar essas coisas a sério, afinal, isso tudo é só uma brincadeira mesmo, que se chama jogo da morte, divirta-se.

† Ðαяk † Åиgєℓ

sábado, 19 de dezembro de 2009

Caminho para casa


Caminho lentamente, neste momento estou a exatamente três passos do inferno, não preciso de acompanhantes para chegar a perdição. Você pede para que eu volte, mas na verdade, sinto saudades de casa. Não sou tão perfeita quanto pensas, é tudo apenas uma ilusão de ótica, afinal, é isso que torna um anjo das trevas especial. Não se jogue no abismo, não se sacrifique por algo que você nem conhece o suficiente, esse é o mal de todos os mortais, apegarem-se demais aos mistérios que não conseguem desvendar.

† Ðαяk † Åиgєℓ

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Sua Vingança


Habitando no fundo de seus pensamentos, lembranças de risos que hoje provocam angústia. Em breve não estarei mais incluída nesse mundo, e então você perderá a memória, os motivos para lembrar-se de mim. Tudo acontece em vão, não há lógica, caminho por todos os corredores em busca da resposta, que estava bem na minha frente e deixei passar. As luzes fraquejam, estou praticamente no escuro, mas há algo sobrenatural que me guia. Posso ver vultos andando pelo teto, pelas paredes, mas isso não me assusta. Nada pode mexer com meus pensamentos, abalar as estruturas, não tente mais se vingar porque você sabe que levo sempre a melhor. Afinal, há uma grande diferença entre nós dois que faz com que sempre percas, eu não te amo.

† Ðαяk † Åиgєℓ

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Passado assustador


Um dia lembrarei disso tudo, todos os passos mal dados, todo o frio do inverno. Não rolamos mais na grama, as folhas secas estão sufocando, consumindo aquele passado assustador. Saboreie uma nova dimensão, olhos vendados, de frente para os lobos famintos, você não sabe os perigos que pode encontrar, então continue caminhando lentamente, sem movimentos bruscos, querem sua saborosa carne, seu sangue fresco. Há algo no escuro que você nunca conseguirá enxergar, meu dom para provocar angústia, dor alheia. Tento me acalmar enquanto a água quente cai sobre meu corpo, lavando todas as lembranças.

† Ðαяk † Åиgєℓ

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Vozes opostas


Porque você não aprende a gostar da solidão, assim como eu? Posso te ensinar, se quiser. Vulnerável, perdido, não sabe pra onde esses trilhos vão te levar, sei que seu corpo em carne viva, cada veia, cada osso, estão desgastados ao máximo. Mas você continua rastejando, tentando. O medo da solidão é maior que a dor? Sempre haverá duas vozes opostas que sussurram em seu ouvido, uma diz: "Desista, nunca encontrarás o paraíso". Já a outra diz: "continue tentando, lute, você consegue". Mas nunca saberá, qual realmente deve seguir.

† Ðαяk † Åиgєℓ

domingo, 6 de dezembro de 2009

Mente das trevas


Meu rosto, pálido pelas lembranças, meu corpo, congelado pela solidão. Seu olhar penetrante me lembra a névoa sombria do inverno, volto a todas aquelas questões mal resolvidas. Parece que você pede pra sofrer, quando insiste em voltar ao passado. É tão difícil assim entender que se tentar novamente, talvez possa enxergar a realidade e se arrepender? Não entendo porque as pessoas têm tanta vontade de conhecer o inferno, o que há de tão encantador em uma mente das trevas?

† Ðαяk † Åиgєℓ

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Mensageiros das trevas


Você deveria ter medo de toda essa aproximação, você deveria ver o quanto sou perigosa, a cruz que carrego em meu peito e o olhar mortífero, são provas disso. O mistério é minha principal arma contra sua lucidez. Ande prevenido, você não sabe o que pode encontrar em cada esquina. Só nós conseguimos ver o quanto há inúteis neste mundo, e isso nos revolta ainda mais. Infelizmente, dessa vez é você que está na mira. Tome cuidado, afinal, mensageiros das trevas nunca tiram férias. Não veja isso como uma ameaça, e sim como um aviso de alguém que já teve a mínima consideração por você.

† Ðαяk † Åиgєℓ

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A bela e as feras


Manhã nublada, o tempo demora a passar, todas as lembranças voltam a minha cabeça, novamente. Alguém fala em vão, poucos prestam atenção, sem saber que ali está a chave para o futuro. O sol começa a aparecer, mas a esperança não, pois todas as forças já se esgotaram. A "bela" é rodeada pelas "feras", quando ela finalmente começará a enxergar a beleza interior? Eles rastejam, mas de que adianta se ela só pensa em seu "príncipe" arrogante? Talvez quando finalmente abrir os olhos, já tenha perdido tudo, e aí será tarde demais, as "feras" desistiram.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Máscara


Sei que você já vê em meus olhos a marca da vingança, os relâmpagos que provoquei quase afundaram seu barco. Vejo em você meu próprio reflexo, como um vidro limpo. Não te prejudiquei tanto assim quanto pensas, a verdade é que foi você mesmo quem provocou a derrota. O que fazer com alguém que não consegue enxergar a verdade? Alguém que só enxerga o que lhe convém. Abra os olhos e observe um pouco mais a sua volta, estamos só nós dois aqui, tire logo sua máscara. Você sabe que comigo não adianta atuar, não preciso de sua falsa dor, pois é o futuro que vai lhe proporcionar toda a tortura que merece.

† Ðαяk † Åиgєℓ

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Desejo


Não me negue essa possibilidade, quero provar do meu próprio veneno, o sangue que corre em minhas veias. Prove também, talvez assim finalmente descobrirá o verdadeiro gosto da liberdade. Sinto a batida do seu coração, acelerando mais a cada segundo, posso ouvir o estalar de todos os seus ossos, sinto o cheiro do seu sangue, mas porque não consigo te matar? Já foi tão fácil tirar vidas, então porque agora tenho que me contentar apenas com o desejo? Há várias pessoas a minha frente, mas mata-las não seria o suficiente para saciar toda à vontade que tenho de que você esteja no lugar delas.

† Ðαяk † Åиgєℓ

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Meu anjo


O piano está vazio, gostaria de poder tocar uma música tão especial quanto você, mas neste exato momento todos os meus sentidos estão limitados. Me torno um mistério cada vez maior e mais complexo para esses meros mortais. Sentada a sua frente, porque não consigo dizer alguma coisa? Te dei todas as cartas do jogo, o que era preciso, mas parece que não foi o suficiente. Enquanto o sol bate em meu rosto, não sinto nada, não sinto as queimaduras, pois você é como um anjo que leva toda a dor embora.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Corredor da vida


Aqui, por esse corredor chamado vida, passam várias e várias pessoas todos os dias, mas só as realmente fortes e sem coração conseguem vencer. A vida é assim mesmo, traiçoeira, impiedosa, e enquanto estou aqui sentada a esperar por uma oportunidade, há outros lá fora que querem me ver cair logo. Você espera por minha derrota, como um bicho sedento esperando pelo sangue de sua melhor vítima. Mas temos muito mais em comum do que pensas, talvez seja por isso mesmo que anseias pelo meu fim, afinal, antes de minha chegada, nunca existiu ninguém com uma mente tão doentia e maligna quanto a sua.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Anjo das trevas


Sou o anjo das trevas que se disfarça de sonho, mas na verdade causa todos os seus pesadelos. Pareço ser uma pessoa boa, mas sou muito pior do que você pode imaginar, sou extremamente má. Ninguém me conhece tão bem a ponto de saber quem realmente sou, você nunca descobrirá todas as minhas ambições, os meus desejos. E muito menos, terá capacidade para realiza-los. Rosas, negras como a escuridão, cabelo, vermelho como o fogo, pele, gelada como a de um vampiro, rosto, perfeito como o de um anjo, assim que as coisas são no meu mundo. Então seja bem vindo, à terra da perdição.

† Ðαяk † Åиgєℓ

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Inferno


Pra que derramei tantas lágrimas? Pra que derramei tanto sangue? Foi tudo em vão, afinal, ainda não sei o que se passa em seu interior, em seu coração. Meu fim está cada vez mais próximo, e sinto que vou ter que partir, com o peso de toda essa dúvida. Sei que a morte não responderá às minhas perguntas, e você nem se importará com meu último suspiro. Mesmo que eu tenha que queimar eternamente, sei que você não irá ao inferno me buscar. Os pesadelos à noite, são resposta para todas as minhas perguntas, a verdade é que você mesmo me mataria se tivesse a chance.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Seu amor é cego


Tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe, tão frio, mas ao mesmo tempo tão quente. Vejo através do seu olhar uma outra dimensão, na qual me perco totalmente. Não consigo entender minha consciência tão leve, mas ao mesmo tempo tão pesada. De onde vêm essa força que ainda me mantém viva? Meu maior desafio é descobrir o que você realmente pensa. Então diga porque me escolheu, "porque logo eu?" E deixe bem claro o motivo pelo qual ainda queres salvar minha vida. Estou com cordas amarradas em meus pulsos, os cortes sangram sem parar, você vê meu pior estado, e pra mim a dúvida é maior que a dor. Me pergunto: porque mesmo depois de tudo isso, ainda tens aquele antigo brilho especial no olhar? Será que seu amor por mim é tão cego assim, que nem consegues enxergar todo o mal que te fiz?

† Ðαяk † Åиgєℓ

Corvos


Estou vendo sua destruição, a chegada do seu fim, que parece estar cada vez mais próximo. Você já estava destinada a isso, agora entendo, as vezes a inquietação, a busca por aventuras nos leva à loucura. Você está apenas colhendo o que plantou, nesse mundo onde tudo que vai volta. Mas não gosto de ver-te assim, me dói até a alma saber que tudo está apenas por um fio. Saio do meu mundo gelado, encaro a realidade quente e turbulenta, será que precisaremos rastejar como vermes mais uma vez? Não. Avise aos corvos que nossa vitória ainda chegará, e finalmente poderemos reinar, sem termos que nos esconder e fugir como ratos nojentos a procura do bueiro.

† Ðαяk † Åиgєℓ

domingo, 8 de novembro de 2009

Meu brinquedo


Fico sentada na janela, apreciando à vista sombria, tão escura e macabra quanto meus pensamentos. Estou brincando com agulhas, fogo, brincando com a sua vida, você me fez enxergar toda a maldade. Observo minhas feridas, e me pergunto: no que me transformei? Um ser sem sentimentos, uma menina impura e sem coração? Em folhas negras escrevo minha vida, ver seu sofrimento é a única coisa que pode me deixar feliz, então se arraste pelo chão, e implore por piedade, mas nada disso poderá te salvar de toda a minha fúria.

† Ðαяk † Åиgєℓ

sábado, 7 de novembro de 2009

Neve


Deixo minha imaginação me levar, pra bem longe desse lugar, pelo menos por um momento. Você nunca entenderá meu corpo e meus sentimentos, tão frios quanto a neve. Vejo os flocos brancos caírem, mas já não sinto o gelo, esse mar desperta toda a minha solidão. Estou isolada, enquanto há um mundo lá fora que me espera, me sinto sufocada, pelo peso das palavras que nunca foram ditas. Eu te conheço, sei quando não está bem, você pode até tentar esconder a tristeza por trás de falsos sorrisos, mas vejo seu interior, e sei que toda essa espera e frustração te mata por dentro.

† Ðαяk † Åиgєℓ

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Azazel


Dormia em um berço, uma criança recém-nascida, o demônio Azazel entrou em seu quarto lentamente, no silêncio da noite, e pingou o sangue na boca daquela criança, que foi amaldiçoada. O demônio ia visita-la sempre, e a medida que o tempo passava a criança mudava, se transformava cada vez mais, de repente, o demônio sumiu, parou de ir vê-la. Essa criança é um menino que cresceu com o ódio em seu coração, coração que na verdade parece nem existir, pois é feito de pedra. A vontade de matar e só praticar o mal o consome todas as noites, ele quer o sangue de Azazel, quer sentir mais uma vez aquela sensação que tanto o fez bem, aquele prazer. Um dia resolveu ir procurar seu "anjo" da guarda, para poder satisfazer sua vontade, mas no caminho alguém lhe disse: Você se tornou exatamente igual ao demônio, e só perde tempo procurando-o, afinal, um demônio não pode dar sangue a outro.

† Ðαяk † Åиgєℓ

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Floresta do medo


Nada disso tem sentido, caminho em busca de algo que nem eu mesma sei. O anjo da morte já veio várias vezes me buscar, mas ainda continuo aqui, nessa floresta obscura e solitária. As coisas estão embaçadas ao meu redor, tudo que vejo é apenas escuridão, tudo que sinto é apenas dor. Minha boca seca não anseia por água, mas sim por sangue. O nome desse lugar é floresta do medo, onde todos os seus piores pesadelos acontecem. Escuto apenas os gritos de pessoas que estão sendo torturadas e imploram por piedade até seu último suspiro, mas sou ignorante o bastante para ficar quieta, e deixar que derramem até a sua última gota de sangue.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Reflexo


Nesse momento ouço apenas o barulho da chuva, e dos relâmpagos, quando o céu clareia pareço ver coisas, tudo fruto da minha imaginação, a mesma que me deu asas negras pra voar. A casa está totalmente vazia, nas paredes, quadros de alguém que eu nem conheci, a janela está molhada, vejo em meu reflexo apenas uma pessoa deformada. Sinto o cheiro da morte, que veio para me dar as boas vindas, ela se aproxima, enxuga minhas lágrimas, e diz em meu ouvido: não tenha medo, vá ao encontro de uma nova vida. Nesse momento não posso fugir nem de mim mesma, pois vejo meu reflexo em todo lugar. Há sangue por toda parte, minha unica saída é abaixar a cabeça, fechar os olhos e pensar em você, em nós dois, antes que eu pare de respirar, pois desejo que sejas minha última lembrança deste mundo tão sombrio, afinal, nosso sentimento é a unica coisa pela qual eu gostaria de ficar.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Outubro


As luzes de outubro, comemorações de dia das bruxas, sinto que anunciam a chegada de uma nova surpresa. As árvores secas são nosso habitat, onde fazemos os pactos e escrevemos nossos juramentos em sangue. Os corvos ficam apenas na arquibancada, assistindo toda a nossa dor, eu presenciei sua primeira mudança, seu primeiro passo, fiz você se perguntar: Pra quê existe céu se a imagem do infinito já se encontra diante de mim, em seus olhos? Eu fui a assassina da tua inocência, te mostrei um mundo melhor.

† Ðαяk † Åиgєℓ

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Fantasmas do medo


Subo essas escadarias, com a esperança de encontrar uma solução no último degrau. O fogo que me consome, me deixa em carne viva, e assim vou deixando meu rastro de sangue por toda parte. Não sei o que ainda me mantém aqui, talvez seja a vontade de saber o final dessa história tão complicada. De quem depende o meu futuro? Apenas de mim mesma, e assumo isso, pois prefiro assumir meus próprios erros, a ser como aquelas pessoas que se fingem de vítima o tempo inteiro. Então veja minhas olheiras, e aí você perceberá que esses fantasmas do medo me perturbam a noite inteira.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Jardim da Saudade


Vejo esse lugar totalmente vazio, nos corredores apenas lembranças. Procuro lembrar daquele jardim, que agora parece ser meu lugar preferido, quando passo por ele, tento observá-lo a cada segundo, enquanto espero a hora em que minha morte chegará. As pessoas parecem cansadas e entediadas pela rotina, eu também. Sei que pareço ser triste, por isso que as pessoas ficam me olhando, me evitando, olham meus desenhos, tentam entender os símbolos, mas a verdade é que ninguém nunca poderá entender o interior de uma alma solitária.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Libertação


Hoje comecei a lembrar do passado, aquela época em que eu era tão infeliz e frágil. Só de lembrar do quanto estava vulnerável, e do quanto eu me enchia de esperanças com pequenas ilusões. Mas hoje mudei, me fortaleci, e finalmente sei a diferença entre certo e errado. Consigo ver através das pessoas, e saber quando elas estão sendo falsas, quando estão mentindo. Me tornei realista, botei os pés no chão para o meu próprio bem. Vejo pessoas rindo sem motivo, nesse dia frio e chuvoso, vejo crianças brincando, talvez elas ainda tenham chance de se libertar, antes que seja tarde demais.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Passado, laços de sangue


Essas folhas mortas que caem, me transformam em apenas uma sombra do que eu era antes, sinto que estou em tempo de grande transformação. O que nos transforma? A falta de sonhos, os laços de sangue, as ilusões, o cansaço de tanto tentar lutar por causas perdidas, a vontade de esquecer o passado, a procura por ideais... Dizem que o tempo cura todas as feridas, mas de que adianta se depois elas são abertas novamente, mesmo que por outras pessoas? Não quero mais me expor tanto. Meu maior defeito é acreditar, que um dia as pessoas podem mudar pra melhor.

† Ðαяk † Åиgєℓ

Em busca da diferença


Gostaria de ser como os vampiros, seres noturnos perigosos, mas ao mesmo tempo tão fascinantes. E as bruxas, para alguns elas podem até dar medo, mas pra mim são encantadoras, porque chamam muito minha atenção com suas roupas pretas e poderes. Os lobisomens famintos por carne, ficam apenas esperando a lua cheia, talvez nunca tenham alguém com quem ficar. O que todos eles tem em comum comigo? Creio que também sejam solitários e incompreendidos. Fico pensando em como seria viver com algum deles, seria perigoso e ao mesmo tempo divertido, sonho com essa possibilidade, pois penso que apenas conhecendo alguém assim, diferente, que eu poderia me sentir completa.

† Ðαяk † Åиgєℓ