domingo, 21 de maio de 2017

Preciso de você

Angustia, choro preso, como a chuva tímida que não sabe se cai ou não. Olhos cheios d'águas, garganta que arranha, que pesa, entalada. Sinto falta de seus olhos sorrindo para mim, de seu corpo trazendo-me segurança, aconchego, naquele abraço apertado. Nem parece que nos vimos hoje mais cedo, queria mais uma dose, mais uma dose de você. Gosto de contar minhas histórias, de como você as ouve, sempre tão interessado, não sei como alguém pode aguentar, e até mesmo gostar, de uma pessoa que fala tanto. Às vezes tudo de que preciso é cantar alto, na rua, na chuva, extravasar, sem me importar com quem vai escutar. Mas agora, sinceramente, tudo de que preciso é do seu abraço, sua proximidade, daquela forma como só você me olha, como se eu tivesse um encanto, que sequer sabia que tenho.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Olhar vazio

Me perco, dentro do meu próprio reflexo, dentro deste olhar vazio, já quase morto. Entro dentro do espelho, brinco de ser outra pessoa, talvez mais amada, mais querida, talvez alguém melhor. Me sentiria tão bem, tão feliz, se pudesse simplesmente entrar, sumir dentro do espelho. Sonho com a possibilidade, de um dia me perder, e não mais achar o caminho de volta.

Te devoro - Parte 2

Sinto falta de correr minhas mãos pelas entradas de sua barriga, de sentir o gosto de cada beijo, inédito. Quero me entrelaçar mais uma vez contigo, embaixo do lençol. Dormir numa varanda, no aconchego do teu peito, brincar de esquentar meus pés. Te admirar pela manhã, enquanto ainda dormes, acordar-te com um beijo, doce. Dormir de conchinha, sonhar, sorrir, ouvir teu eu te amo, me fazer somente tua, meu "aquecedor de mãos." Só de saber que essa barriga é apenas minha, ah, já me arrepio toda.

Te devoro - Parte 1

Olho para a minha calça e começo a sorrir, pois lembro de quando você disse "Gostei da calça". São esses meros detalhes, esses pequenos, porém tão importantes, elogios, que me fazem gostar de você. Sorrir feito boba, com lembranças, e por saber que tenho o melhor namorado do mundo. Mas sorrir com vontade mesmo, com a alma, e até mesmo com os olhos. Sinto tanto a sua falta. Sentir saudade, até que tem suas vantagens, o beijo é mais gostoso no reencontro, genuíno. Não há como conter, algo tão esperado. Se eu pudesse sentiria essa dorzinha, essa pontinha de saudade, todos os dias, só pela delícia do reencontro. Relembrar como é lindo teu sorriso, poder até mesmo te devorar se necessário, com os olhos, com a boca, mais uma vez, de corpo inteiro.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Água-viva

Sinto falta, dos nossos corpos entrelaçados, de nossas mãos dadas, das conversas intermináveis, do que costumávamos ser, quando tínhamos algo, que hoje já não temos, tempo. Anseio por aquele sorriso tímido, meigo, contido, mas ao mesmo tempo tão gostoso de ser visto e ouvido. Mais uma vez, leve, descontraído, quero para mim aquele sorriso, de quem deseja, mas não pode ficar. Fica, só essa noite, pode ir embora pela manhã, sem culpa, nem precisa me acordar, pois posso continuar vivendo em meus sonhos o que a realidade não me trará ao despertar. Me chama de tua, mesmo que seja por apenas uma noite, eu finjo que acredito. Pois estar perto de ti, me queima como água-viva, mas ao mesmo tempo, é inevitável.

Delicado e contínuo

Talvez eu me esforce, tente participar, pertencer a algo. Pois por mais solitários que sejamos, sempre precisamos, nem que seja, daquele certo alguém. E a partir de hoje só quero quem some, que some não no sentido de sumir, mas no de acrescentar mesmo, porque pra me botar para baixo já basta minha falta de auto estima. Quero alguém que faça com que me sinta a pessoa mais especial e incrível do mundo, merecedora de todos os seus sorrisos, de seu aconchego. Não, espera, eu já encontrei essa pessoa, então muito obrigada por você existir, pois juntos, nos tornamos mais fortes e capacitados de irradiar nossa felicidade para quem quiser ver e se alegrar conosco, e para quem não quiser ver, só lamento.

Casaco velho

Você deve entender, que não mais serei aquela garota que usa biquínis, ou roupas do tipo. A barriga incomoda, os cortes na perna são muito visíveis, ninguém mais precisa saber. Prefiro ser a garota que continua aqui deitada, em meio a meus devaneios, com aquele mesmo casaco largo e velho de sempre, que você deixou, ele praticamente já faz parte do meu corpo. Agora é como se todos fossem estranhos, e eu já nem reconhecesse mais a ninguém, sequer a imagem que vejo no espelho. Como se vivesse num outro mundo, completamente diferente, apenas eu, e esse casaco antigo.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Interrompida

O espelho jamais mentiria para você, ele não mente, pessoas mentem. As lágrimas são reais, assim como o peso que você ganhou. E aquele um quilo a menos, não, ele não é uma vitória. Dez quilos, quinze, nunca parecem o bastante. E ninguém parece enxergar, que você só quer ficar só, mas ao mesmo tempo, é um pedido desesperado de socorro. Os cortes são reais, a dor, o sangue, o vazio. "Sei exatamente como é querer morrer, como dói sorrir, como você tenta se encaixar e não consegue. Como você se fere por fora tentando matar o que tem dentro."

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Se ao menos...

Tenho medo de que você desista de mim, de que perceba o quão quebrada e fodida sou, e não esteja disposto a me consertar. Deve ser difícil conviver com alguém tão surtada quanto eu, nessa montanha russa, altos e baixos, não quero te sufocar. "Dizem que um dos dois sempre ama mais, meu Deus, quem dera não fosse eu." Me sinto feliz em saber que tenho olhos apenas para você, e me pergunto o que fiz para merecer alguém assim tão maravilhoso, mas já devo ter dito isso milhares de vezes. Hoje tenho quatro motivos para me tratar e querer melhorar, primeiramente por mim mesma, pela minha família que sempre me apoiou, por meus amigos que se preocupam comigo, e agora por você, que como um anjo apareceu na minha vida justamente quando eu mais precisava. Às vezes tenho medo de te mostrar meu verdadeiro eu, quem realmente sou, e que você saia correndo, se assuste. Mas sinceramente espero que isso não aconteça, e que você realmente fique, para sempre, se possível.

Um amor inesperado

Aquele sempre será o muro amarelo onde nos conhecemos pessoalmente, aquele sempre vai ser o bar onde bebemos nossa primeira cerveja junto com os seus amigos, e aquele sempre será o banco onde nos beijamos pela primeira vez, enquanto eu queria muito mais. Aquela sempre vai ser a escada onde você falou sobre ficar sério, e eu com meu medo bobo, não consegui te dar uma resposta, por mais que quisesse o mesmo. Aquele sempre será o dia em que vimos meu filme preferido, e eu finalmente disse sim. E aquele sempre será o dia, em que tive o prazer de dormir a seu lado pela primeira vez, mesmo que você tenha pego todo o cobertor só pra si, não me importo. Agora só quero que todos saibam, que quando sorrio, definitivamente o motivo é você. Aquele alguém especial, por quem vale à pena ser um inteiro, pois você não merece se prender a alguém que pode se dar apenas pela metade, então sejamos dois inteiros juntos.

Adormecido

Às vezes só queria ter a coragem necessária para enfiar a navalha mais fundo, não me sentir tão fraca, não desperdiçar tantas lágrimas. Às vezes só queria ter a coragem, de tomar mais um comprimido, de acabar com tudo isso logo de uma vez. Às vezes só queria ter a coragem de mandar toda a dor embora, não quero mais sentir tudo isso, amplificado. O vazio, a dor, a sensação de impotência, corpo mole, até onde será necessário chegar? Quantos cortes? Quantos comprimidos? Só queria saber o número necessário, logo de uma vez.

domingo, 14 de maio de 2017

Minha fortaleza


Só queria saber como fazer toda essa dor parar, cortes, comprimidos, todas as lágrimas, o vazio, nada nunca parece suficiente. Me sinto tão pequena, tão insignificante. Mas então vejo aquele girassol, e simplesmente sorrio. Te vejo, e sei que tudo vai ficar bem, minha fortaleza. Você consegue me aceitar mesmo com todos os problemas que tenho? Consegue transformar o pouquíssimo que tenho a oferecer em um inteiro? Me complementar? Se sim, então apenas venha comigo, vamos trilhar nossos caminhos juntos.

Divergência

Que visão incrível, a de nossos corpos se encaixando, o preto no branco, todo o contraste. Sussurros, respirações ofegantes, entrecortadas, tuas mãos em minhas coxas, apertando, arranhando. Sinto falta de tudo, até mesmo de tuas manias, do encaixe de nossos corpos, teu calor, teu suor, e até mesmo do modo como mexe o nariz. Vejo o céu acima de tua cabeça, infinito, e é só seus lábios tocarem nos meus que já tenho certeza, de tudo. Sinto um calor no corpo, no coração, o brilho dos teus olhos, justamente o que torna uma pena o tempo ter sido tão cruel conosco.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Permutação

Ele é como uma queda ao ar livre, caio, me afogo, me perco. Mas ao mesmo tempo me encontro, como se pela primeira vez finalmente soubesse quem sou, e tudo pelo que passei tivesse um sentido. Enxergue todos os fantasmas de decepções passadas que habitam em meus olhos, e mande-os embora. Será que precisamos sempre de uma pessoa para esquecer a outra? Ficar fazendo substituições, isso é mesmo necessário? Onde fica o amor próprio no meio disso tudo? Você não pode simplesmente reaparecer, e querer que tudo fique bem, você não tem esse direito, de até mesmo me culpar por coisas que foi você quem fez. Não pense que mais uma vez vou cair a seus pés, finalmente estou superando e pretendo continuar assim. Meu corpo ainda dói pela agressão, mas saber que você foi capaz de fazer aquilo comigo dói mais ainda. Pele na pele, olho no olho, como sinto falta do teu corpo, mas se pensa que vou me deixar iludir acreditando em todas as suas mentiras mais uma vez, você está muito enganado.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Ímpeto

Quero saber o que você fez, para me conquistar de tal forma, em tão pouco tempo. Você tem um certo charme, irresistível, que só você parece não enxergar. Arrebatou-me de tal forma que sequer sei o que aconteceu, e se eu pudesse ficaria ali naquele ponto para sempre, mesmo que em pé. Teu cheiro vicia, tenho medo de me perder em sua intensidade. Teu calor esquenta não só meu corpo, como também minha alma, aquece meu coração. Fico imaginando você a sussurrar no pé do meu ouvido, como deve ser bom. Eu sonhei com olhos castanhos, e fui presenteada com os seus, que têm uma intensidade na qual a gente se enxerga, se encontra e ao mesmo tempo se perde, sem nunca mais querer achar o caminho de volta.

Resquício

Como você consegue ser tão apaixonante assim, surgiu para bagunçar com a minha mente. Teu amor é do tipo que cura, o mais puro que há, me faz sentir segura, viva, respirar aliviada. Quero deitar em teu peito, juntos na cama, nunca mais me sentir sozinha novamente. Quero te admirar, e pensar pela milésima vez no quanto sou sortuda por ter tudo isso que sequer mereço. Mas ao mesmo tempo, você me faz perder o fôlego, sinto-me absolutamente destruída, devastada, desnorteada. Pois simplesmente já não sei mais o que quero, e você parece saber muito menos. E então seguimos, nesta constante corda bamba, um misto entre querer e não querer, cuidado e desmazelo. Alternando quem faz o papel, de pegar e não dar nada em troca. Você toma tudo, como um furacão, já nem sei mais quem sou, um dia ainda irei me olhar no espelho e ver apenas uma estranha, aquilo que você fez de mim. Irei esconder meu rosto ao lembrar que um dia já me senti viva, feliz, e que hoje sou apenas um resquício de quem costumava ser.

Olhar mórbido

Olhos semicerrados, pele pálida, frágil. A falta de respeito é desgastante, e visível de forma cruel e fria em sua expressão de descontentamento. Tuas lágrimas ainda não secaram criança? Já não cansaste de chorar? Seque teus olhos, lave esta cara, saia a noite e se for preciso até mesmo se prostitua, o que for necessário afim de que a dor passe. Um idoso resmungando, uma criança, um adolescente rebelde, ninguém aguenta mais nenhum de vocês. Se tem uma coisa de que não gosto é gente que se faz de vítima, ainda mais sendo o verdadeiro vilão da situação. Olhos vermelhos, que bufam, expressivos, olhos que acusam. Olhos que transbordam, que sangram, olhos que jamais esquecerei.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Policromático

Estamos envolvidas, enquanto passo a mão por cada curva de seu corpo, chego ao paraíso. Aventuras, desventuras, você é uma mistura de tudo, vejo todas as cores do arco-íris. A tinta de tua pele, colorida, reluzindo, atinge mil tons diferentes. Pelo que mais estamos esperando? Não quero ter que ir devagar, quero cravar as unhas em tua pele, arranhar, morder, arrepiar. Eu deveria ter te beijado, não ter te deixado sozinha, ter mostrado que me importava, que eu apenas estava envergonhada por não merecer algo tão belo quanto você.

Espelho de carne

O que fazemos de errado fica conosco para sempre, eu mereço tudo que aconteceu comigo, cada tapa, cada aperto no pescoço, cada xingamento. Não pertenço a lugar nenhum, uma estranha dentro do próprio ninho. E então você começa a imaginar como seria morrer, se alguém sequer sentiria a sua falta. Olhei no fundo de seus olhos, e você não foi capaz de me reconhecer, será que me mudou tanto assim que nem mesmo me reconhece? A luz castanha intensa que emana dos olhos dele é incrível, indescritível, é como um remédio prescrito para iluminar minha vida, me curar. Mas você me quebrou, de forma tão crítica que é difícil confiar novamente, acreditar. Vivo tanto, e esse muito ainda me parece tão pouco, para essa louca vida que levo, tão intensa. Olhos vazios, desesperados, assustados, são tudo que vejo no espelho, tenho até medo de olhar. Quero admirar as marcas, quero sentir a dor, ardendo. A culpa estará para sempre em seus olhos, e é justamente por isso que você se odeia. Às vezes fazemos coisas das quais nos arrependemos amargamente, e algumas delas ficam conosco, para sempre.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Carma

Hoje você pode não ser mais aquela mesma pessoa, por quem me apaixonei, mas os motivos pelos quais te amei voltaram a ficar vividos em minha mente. Talvez eu tenha apenas me enganado, criado uma imagem de você que sequer exista, que não era real, mas como eu queria que ela fosse. Desejei com todas as minhas forças não estar errada, que você não me magoasse, que não me machucasse, que pela primeira vez eu finalmente tivesse acertado. Apenas esperanças vãs, tudo foi consumido, não há como fugir de quem você realmente é, mas eu mudei tanto por você, tão profundamente que até doeu em mim, ver que não valeu de nada. Ver que me fiz outra pessoa totalmente diferente, me transformei em algo melhor, apenas para ganhar tudo aquilo que já merecia por quem antes fui com os outros. Você foi meu carma, um carma que apesar de cruel, ainda não consigo esquecer e deixar ir por completo.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ambivalente

Observo a luz que reflete na poça e desmancha, com o tremeluzir da água, e então eu dissocio, de repente estou em outro lugar. Acho que me viciei em você, no teu cheiro, no teu beijo, no teu toque, tua voz, e isso dá medo. Pois tudo que tenho a oferecer são mãos que sufocam, palavras que machucam. E o medo do abandono é real ou apenas imaginado? Já nem sei mais, só sei que o vazio só faz aumentar. Uma dor aqui dentro do peito que jamais cessa, um imenso buraco negro que nada pode preencher. Brinquei de me entregar, mais uma vez experimentar, tentar esquecer as coisas ruins do passado, e acabei indo longe demais. Tudo escorre por entre minhas mãos, escorrega pelos dedos, nada permanece, se faz fixo. Somos seres mutáveis, porém minha personalidade é imutável, jamais poderei fugir dela, me esconder, sou quem sou. Aquela com o imenso vazio, aquela que sufoca, manipula, sofre, chora, muda de opinião, de humor, constantemente, se entrega, quebra a cara, esquece e vive tudo de novo, num loop infinito, no ciclo vicioso que é essa vida. De vício em vício, de corte em corte, sem jamais achar um sentido, sem entender a si mesma. Um dia todos vão cansar, não restará mais ninguém, e você irá se ver sozinha, talvez para o bem, talvez para o mal, você finalmente crie algo que nunca teve, coragem, para o quê, só você mesma sabe.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Excitação

Gosto de sentir teu corpo tremendo, toda a excitação, o sorriso de nervoso, o braço na boca tentando manter o silêncio. Sussurros ao pé do ouvido, quero continuar até que você implore por mais, tentando se conter. Percebendo que é impossível, até que tudo que podes fazer é se entregar. Mas não podemos parar por aqui, precisamos de muitas outras noites como esta para compensar todo o tempo perdido. Então perca o controle, se entregue, no fundo sabemos que é isso que você quer, enquanto faz o mesmo comigo, até que eu chegue lá. Te ver chegar lá não tem preço, me excita, tua expressão, teu corpo, o melhor momento, o ato mais gostoso de todos.

Desaparecer

Queria saber como você faz isso comigo, o jeito como fico nervosa sabendo que nossos olhos se encontrarão, mesmo depois de tanto tempo. Anseio pela visão de teu sorriso, produzo mais memórias. Por que é tão difícil esquecer? Tentei inúmeras vezes, passar por cima de tudo isso, mas não há como ficar perto e não há como ficar distante. Você não pode fazer com que eu sare, ninguém pode, sempre estarei quebrada, aos pedaços. E machuca lembrar como as coisas eram fáceis, quando não havia sentimentos, quando era como se eu estivesse morta por dentro. Agora somos apenas pessoas invisíveis, vivendo uma vida invisível, sem nome, numa cadeia que aprisiona.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Olhos castanhos

Quem é você para dizer o que sinto? Mais uma vez estou no meu caminho para baixo, para o isolamento. As pessoas desta sociedade são muito evoluídas, muito comunicativas, e muito fingidas para a minha realidade, hipocrisia é muito para mim. Eu me identifiquei e me reconheci através da tua dor, talvez estejamos sobrando neste mundo. Sempre soube, que amores como estes jamais duram. Você tenta se socializar, pra esconder, mas eu vejo através da máscara, da armadura. Eu olho em seus olhos castanhos, encaro, eles demonstram tanta dor. Mostram a forma como o passado te destruiu, e agora você tenta esquecer, pulando de cama em cama, mas a sensação de solidão no dia seguinte é forte demais, sei bem como é isso. A isso que se resume também, minha própria vida, esse sentimento de que você não foi bom o suficiente para alguém, não fez o bastante, e jamais poderá reparar isso.

sábado, 15 de abril de 2017

Terraço

Nunca pedi um beijo teu, nunca senti teus lábios, e me arrependo por isto, mas talvez não seja tarde demais. Pele morena, as entradas de tua barriga, quero desfrutar de cada pedaço, de cada sorriso iluminado, de cada canção. Quero falar sobre qualquer besteira, sinto que só você pode me curar, desta overdose de mau humor. E quem sabe um dia possamos nos entender, e apenar apreciar, o terraço mal iluminado, descer as escadas e entrar em teu quarto. Nos conhecermos melhor, explorar. Seu rosto parece reluzir, parcialmente iluminado. Milhões de pensamentos passam através de minha cabeça, mas não quero criar expectativas, ou talvez eu possa. Talvez você posso me dar a oportunidade de sentir algo que nunca senti antes. E minhas mãos vazias, não têm nada a oferecer, mas talvez você possa complementa-las. Apenas esta noite, quem sabe, apenas faça com que me sinta única, e saberei que você é especial. Que enfim encontrei alguém diferente, por quem vale à pena, ter qualquer esperança. A luz do poste ilumina meus olhos, enquanto espero você chegar, talvez tenhamos uma conversa casual até se transformar em algo mais, talvez não leve a nada, mas o que dirá será seu olhar. Você me parece doce, tranquilo, e esperamos por esse algo mais já a tanto tempo. Certa vez me disseram para não ficar pensando no futuro, apenas viver o presente, o momento, e agora, isto é o que mais quero.

Segunda opção

Você me trata como um objeto, você está muito enganado, não sou um quebra cabeça que podes montar como quiseres. Esta noite não serei tua, então apenas fique na vontade, sem minha companhia. É muito fácil achar outra pessoa em quem se aconchegar, mas só quero calmaria, não quero a correria de tua vida, quero paz. Estou cansada, de todos os rodeios, talvez eu prefira alguém, que não me trate apenas como se fosse mais uma opção qualquer.

Assombração

Dançando sozinha, de repente tenho um momento de clareza, acho que estou me apaixonando, subitamente, e nada mais me assusta agora. Lembro de nossos olhos reluzindo, ambos iluminam um ao outro, seus olhos brilham tanto, sorrisos simultâneos. Estamos vivendo uma espécie de sonho, porém a dose de realidade sempre irá chegar, mergulho na água tranquila e ela me puxa de volta, faço força para ficar e começo a me afogar, será que ainda há alguma espécie de salvação? Estou aqui para te segurar se cair, e te puxar de volta caso seja necessário. Escuto as histórias interessada, finjo não me importar, mas é claro que me importo, uma pontada de ciúme surge, mesmo assim o orgulho ainda é maior. Você não quer esquecer o passado, não quer seguir em frente e deixa-lo ir, eu sei, pois já passei por isso também. E eu morri um milhão de vezes, esmagada pelo peso das palavras nunca ditas, pelo medo do desconhecido, de ser trocada, abandonada. Opostos que se complementam, essências similares, compartilhamos a visão daquela mesma lua cheia iluminada, no terraço, troca de segredos. Este cômodo foi reformado, mas ainda me parece o mesmo lugar, abrigando os mesmos fantasmas, como alguém que pensamos que ainda irá mudar, mas na verdade nunca muda. Cante-me uma canção, enquanto ainda posso escutar tua voz, enquanto você ainda não foi embora, como todos os outros fizeram no final. Quero proximidade no lugar da distância, realmente conhecer ao invés de informações vagas. Como sempre me expus, me entreguei, e alguém sumiu, talvez meu passado seja demais para qualquer um assimilar.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Colcha de retalhos

Teu toque é maravilhoso, tua língua, teu beijo, me sinto cada vez mais perto do paraíso, do ápice. Mas uma hora a gente cansa, de procurar o que não consegue encontrar, o desejo toma qualquer forma, toma qualquer gosto, qualquer coisa serve. Uma rede de mentiras, tecida e reforçada pela hipocrisia. Uma hora a gente cansa, de esperar pelo que sequer sabe se vem, de esperar por qualquer coisa que talvez sequer conhecemos. Não quero ser uma espécie de substituta, apenas um remendo, aos trancos e barrancos. Estou cansada de me magoar, de achar que conheço as pessoas quando na verdade não conheço, cansada de ter menos do que mereço, de aceitar qualquer coisa, cansada de simplesmente me conformar. Quero alguém que me deseje de forma brutal, com cada pedaço de seu corpo, com toda a intensidade de seu ser, com toda a sua força. Aquele alguém, que me mostre que se apaixonar, se jogar de cabeça e se entregar, ainda vale à pena.

sábado, 8 de abril de 2017

Índigo - Parte 2

Olhos que cativam, sinto que irão me despir de qualquer pudor, eles derrubam tudo, até mesmo qualquer barreira de proteção que eu tenha criado, afim de não sentir nada. Olhar sereno, calmo, mas que ao mesmo tempo é como um furacão, me devora. A luz dos teus olhos, definitivamente foi o que me salvou, quando estava passando por um momento tão escuro de minha vida. Não quero ficar sozinha mais uma noite, não quero dormir e ter que acordar sem ninguém para admirar. Seus olhos são como um mar, parecem possuir ondas, e eu tento sustentar esse olhar, mas é difícil não me perder, e não querer me afogar nesse mar, por livre e espontânea vontade.

Índigo - Parte 1

Você, é furacão, é ventania, é uma tempestade completa, que arrebata todos os meus sentidos. Não consigo mais tirar aquele primeiro olhar profundo que me deste, da cabeça. Subitamente lembro, da forma como se senti, única, desejada, especial. Ninguém mais é capaz de causar aquele mesmo efeito em mim, então simplesmente, necessito de mais de você. Preciso de mais uma dose, mais um momento, mais um beijo, mais um encontro de olhares, de almas. Quero me apaixonar, cair de cabeça, me entregar, quantas vezes forem necessárias, para me sentir um pouco mais perto do paraíso, exatamente como me sinto a cada vez que nossos lábios se encontram, a cada vez que nossas línguas se tocam.

Autocomiseração

Seguro em minhas mãos aquele mesmo velho chaveiro, lembro dos sorrisos, da ótima pessoa que você costumava ser, e sinto pena de mim mesma. Tive um sonho no qual me embalo em teu peito até dormir, mas na verdade, o que ajuda mesmo são apenas antigas canções de ninar, combinadas com os mesmos remédios de sempre. Seus dentes de Drácula me mordem, sugam toda a minha energia vital, enquanto sou reduzida a nada, submissa, depressiva, e como sempre vazia. A anorexia encontra-se refletida no espelho, te chamando de gorda, fraca, estupida, inútil, mas ela não vai vencer, não desta vez. Quero cavar a ferida, bem fundo, retirar todo o veneno, me aninhar em outros braços. Quero ser apreciada, no meu íntimo, pode tomar tudo, é tudo teu para fazer o que bem entenderes, leve cada pedaço até que nada mais reste, doce alma saqueadora. Muitos não entendem pelo que você passa, eles debocham sem saber como é difícil, sorrir quando se quer chorar, ter que levantar da cama todos os dias, apenas fingir. Passos de bebê, ou grandes passos, isso já não importa mais. A velocidade da mudança, a direção e a intensidade, esse amor é muito mais do que posso me permitir sentir, muito mais do que posso suportar.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Memórias de Fogo

Na peça memórias de fogo, vê-se através de cativantes músicas, gestos, dança e magníficas atuações, críticas à repressão do sistema. Com uma brilhante direção de Sady Bianchin, é uma peça que vale à pena ser vista e sentida na pele. A peça citada no presente relatório é bastante rica em detalhes, desde um “jogo” em que as atrizes presentes no espetáculo complementam as falas umas das outras, até seus gestos em harmonia, como abraços nos quais as mesmas apresentam uma expressão profundamente triste, em que o observador é capaz de sentir toda a angustia, toda a agonia. Memórias de fogo é de grande sensibilidade, até mesmo nos mínimos detalhes, como a colaboração da plateia na iluminação do espetáculo (por meio de lanternas distribuídas na entrada), até o momento em que imagens de poesias são projetadas nas atrizes, de forma quase mágica. Não há como não se encantar, ainda mais com um espetáculo que além de gestos fortes, tem músicas tão bonitas em seu repertório. Como público, entende-se que, Sady Bianchin faz, em sua peça, uma crítica a repressão do sistema, com a qual sofremos e nos deparamos diariamente. Eles querem que você siga o padrão, mas só depende de você quem vai ser, apenas mais um que só observa enquanto a vida passa, ou alguém que luta pela diferença? Eles querem te prender, querem que pense de forma padronizada, não querem que ninguém critique o sistema. O espetáculo vaga por várias questões do dia a dia, sobre como nos sentimos presos, com uma ditadura de como devemos ser, sobre como o tempo passa rápido e as pessoas tem cada vez mais pressa, perdendo seus valores no caminho. Questões como onde foi parar a alegria, a dança, o canto, a simplicidade da vida, de apenas existir. Onde foi parar o amor? Acima de tudo o amor ao próximo, os gestos simples, o cuidar. Sobre como as pessoas se tornaram tristes e amarguradas, expressado de várias formas, através de dança, gestos, canto, palavras, pura poesia. A peça remete até mesmo à simplicidade dos índios que aqui viviam, e como tudo foi tirado deles, e as pessoas foram se transformando cada vez mais, tudo explicito em um conteúdo realmente muito completo. Que nos mostra que as pessoas têm que ter fé, esperança no futuro, ao invés de simplesmente desistir de lutar. Também é ressaltado o fato de que temos que questionar tudo, aprender a pensar por nós mesmos, e não apenas acreditar em tudo que nos dizem, não ser meras marionetes para o deleite de terceiros. Sobre como as pessoas se iludem, acreditando que dinheiro e posses, são sinônimos de felicidade, tornam-se cada vez mais vazias, e justamente, infelizes, achando que têm tudo, quando na verdade, não têm nada. Memórias de fogo é uma peça dotada de conteúdo bem forte, mas que ao mesmo tempo consegue transmitir tremenda fragilidade. É uma peça simples, que mostra muito bem a que veio, mas que ao mesmo tempo é difícil de entender dentro de toda sua complexidade. Aborda inúmeros temas cotidianos, interessantes e essenciais, que nos levam a pensar até onde chegamos, e para onde estamos indo. É uma peça que faz com que o espectador saia satisfeito por ter assistido a algo assim, tão bem estruturado, e que nos deixa com vontade de assistir outras obras semelhantes, igualmente profundas e importantes, para nossa formação como indivíduo e como sociedade.

Obs: Relatório sobre a peça Memórias de Fogo, Trabalho de Cultura Brasileira - Faculdade de Jornalismo FACHA (Botafogo).

terça-feira, 4 de abril de 2017

Resquícios

O amor é uma linha tênue, entre prazer e dor, recaídas. Você encara o vazio, e ele lhe sorri de volta, sempre esperando por um momento do passado que jamais voltará. Estática, estado vegetativo, nada mais tem sentido. Lembro da falta que você faz e me sinto inútil, imóvel, mais uma vez vazia. Você nunca quis realmente ficar, apenas esperando algo dar errado. Nunca será o último beijo, nunca haverá uma última noite de amor, pois estamos para sempre conectados, por aquela mísera ponta de esperança. Se realmente for amor, não importa quanto tempo passe, jamais deixará de existir, a menos que você não sinta o mesmo. Talvez não fiquemos juntos no final, quem sabe, sequer acredito que isso aconteça, mas pelo menos poderei dizer que tentei, com todas as minhas forças, até o último momento. Ah, como eu tentei.

Mais perto

É reconfortante saber que ainda resta algum resquício de esperança, ela flui de teus olhos para os meus. Quero deitar em teu peito, sentir teus braços me envolvendo, tua respiração, leve, relaxada, e ao mesmo tempo pesada, impaciente, enquanto me puxa para mais perto. Nem toda a proximidade do mundo pareceria suficiente, precisamos estar mais perto, mais perto. Com tua boca colada a meu ouvido, mordendo, lambendo, logo fantasio tudo que gostaria de fazer esta noite. Sinto um fogo quando nossos corpos se encontram, quando nossas línguas se tocam. Nossos corpos vibram, nossas mentes se transportam para bem longe daqui, para algum lugar mais privado, desejando estar lá. Desejando ser totalmente sua esta noite, e de mais ninguém, de corpo e alma, mente e coração, quero ser possuída, até encontrar-me exausta, pedindo arrego, como alguém que não aguenta mais, e por fim, apenas deseja dormir em teus braços, descansar, e acordar, quem sabe, querendo mais.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Sem você

Indecisa entre seguir em frente ou continuar presa ao passado, mas sei que a melhor escolha é sempre seguir em frente, pois como o próprio nome já diz, passado é algo que já passou, e não volta a ser mais como era antes. Quando a mágoa já é muita, sempre irá se sobrepor a tudo que há de bom. Apenas é difícil deixar ir, após tanto tempo. Me acostumei a tua mão, a teu toque, me prendi em teus olhos, me agarrei em teu sorriso, e não quis mais partir, não quis aceitar aquele fatídico dia em que tudo desmoronou. Por mais que fosse algo previsível, por mais que já estivesse apenas por um fio a muito tempo, apenas é difícil, aceitar, deixar ir, andar com meus próprios pés mais uma vez, não ver suas pegadas junto as minhas, crescer, sorrir, ser completa como um só.

Hiato

Seus olhos azuis são um mar de emoções, calmaria, paz. Serenos, eles transmitem todo o desejo contido, nos seus beijos, mil palavras não ditas. Quando crava as unhas em minhas costas, e aperta-me com força. Você me envolveu em teus braços, quando eu mais precisava, fez deles minha morada. Não consigo entender, exatamente o que aconteceu, só sei que me fizeste tua, da forma mais pura possível, mesmo que por apenas uma noite. Um hiato, desejos, mordidas, costas, mãos. Mãos que passam através de meu corpo, entendem, curam, tranquilizam. De repente não me encontro mais perdida, me achei, e da melhor forma possível.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Aqui é o meu lugar

Suas mãos sujas, imundas, percorrendo meu corpo, sinto nojo, medo das lembranças, sinto-me fraca, impotente. Penso no quanto tudo poderia ter sido diferente, no quanto eu poderia não estar tão quebrada por dentro, e não me esforçar tanto para dar um simples sorriso, enquanto tudo que quero é desabar em lágrimas, eu poderia ter sido a filha perfeita. Mas agora, tudo que sou é a ovelha negra, aquela que se corta, judia do próprio corpo, enquanto tantos judiaram anteriormente, sem ter nenhum tipo de julgamento. As pessoas foram tirando tudo de bom que havia dentro de mim, gradativamente, e agora nada mais resta, apenas o vazio, consolador, ele me embala. A faca, canta uma velha conhecida canção de ninar, e então eu me afogo, aos poucos, estranhando de inicio, mas então percebendo, que esse é meu lugar.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Memórias

Eu não trocaria, tudo que tivemos, por nada nesse mundo. Posso ter sofrido, posso estar sofrendo agora, mas absolutamente cada momento a seu lado, valeu à pena. Eu trocaria qualquer beijo pelo teu, qualquer mão pelas tuas mãos, mas já estou cansada de ser a garota sofredora. Que jamais consegue te esquecer, que só sabe se martirizar por tudo que fez de errado, e não consegue falar sobre qualquer outra coisa. Teu nome é o único na ponta da língua, e isso chega a irritar, não só a mim mesma, como também a todas as outras pessoas a meu redor. Você lembra, que me prometeu que sempre estaria por perto? Que não seria mais um daqueles que me abandonaram, e eu realmente acreditei. Me lembro muito bem, que você disse que seria para sempre, e esse para sempre passou tão rápido. Daqui a algum tempo, seremos apenas dois estranhos, que mal se lembrarão do rosto um do outro. Luto para não me esquecer de suas feições, e prometo manter as memórias. Quem diria, que justo você, seria a pessoa que mais amei na vida, e que mesmo assim, de nada adiantaria amar tanto.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Como uma rocha

Se eu pudesse, guardaria teu sorriso só pra mim, bem no fundo do peito, de uma forma que mais ninguém possa admirar. Quero ser egoísta, ter-te apenas para mim. Ser teu único motivo, para viver, para sorrir, para acreditar. Quero me sentir importante pelo menos uma vez, quero sentir algo além da vontade de me cortar, e ao lembrar de seu rosto ela só aumenta, mas então lembrei de outra coisa, você não gostaria disso. Você tem uma visão tão errada de mim, que chega a machucar. Sonhei contigo esta noite, e acordei chorando, mais uma vez. Eu ficaria aqui te esperando, para sempre, como uma rocha, se pelo menos soubesse, que você sente o mesmo que sinto.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Arco-íris

A quem eu quero enganar? Sinto raiva, sinto amor, sinto um misto de tudo, como se fossem todas as cores do arco-íris, juntas numa só. Sinto desejo, sinto-me enojada, e todos estes sentimentos me remetem a mesma pessoa, sempre. Quero distância, quero proximidade, já nem sei mais o que quero, não sei mais quem sou. Me sinto tão pequena, tão diminuída, e ao mesmo tempo me sinto incrível, inabalável, invencível. Lágrimas de confusão brotam de meus olhos, sequer sei porque chorei, só sei que é muito difícil quando seus olhos não encontram os meus, e mais difícil ainda quando encontram, quando me diriges a palavra, já não respondo mais por mim mesma. Meus olhos pesam, já estou cansada de tudo isso, de todo o orgulho, de toda a ignorância, dos risos de deboche, por que não podemos simplesmente voltar a ser o que éramos antes? Ontem eu lembrei porque chorei, pelo meu medo de não poder ter uma família, de não poder engravidar, e mais ainda por saber que, mesmo se um dia eu puder, não será você o pai dessa criança.

Simples assim

Esse amor me rasga por dentro, queima, machuca, coça, como algo estranho ao corpo, que ele rejeita, mas que continua ali mesmo assim. Sinto falta da sua voz, mas não posso mais chegar perto de você. Solidão, trás momentos de desespero. Uma recaída não é algo assim tão simples, é um sinal de algo que você na verdade quer, mas tenta esconder, até de si mesmo. Eu só quero emagrecer, me alimentar menos, quem sabe dar a sorte de abandonar este mundo, já que não tenho força o suficiente para fazer isso sozinha, logo de uma vez. E se você não vem comigo, mais ninguém virá, ninguém mais teria a coragem necessária. Agora tudo que eu tenho são lembranças, momentos felizes, atitudes imperdoáveis, beijos quentes e toques calorosos, mas acima de tudo sofrimento, angústia, aquela vontade de sequer algum dia ter existido, sinto sua falta. E eu simplesmente não consigo aceitar, me encontrar agora só, quando te tenho por perto, você na verdade está tão distante que chega a doer.

PM noite 02

Estávamos em Paquetá, eu e meu amado. Na suíte 5 estrelas, do hotel mais caro, sob a luz do luar, desfrutando dos prazeres da carne, quando de repente, escutamos um barulho estranho. Nos entreolhamos, sem ter ideia alguma do que poderia ser, estávamos a sós. E então percebemos que era apenas o som de batidas na porta, caminhei calmamente até a tal porta, e ao abri-la me deparei com uma mulher semivestida. Era semana de carnaval, e ele havia chamado uma amiga para "brincar" conosco, sem que eu tivesse a menor ideia, esperando que a situação fosse de meu agrado. Num primeiro momento, tive que admitir que ele estava certo, ela sabia muito bem o que fazia e foi maravilhoso, mas com o passar do tempo, fui sentindo cada vez mais ciúmes. Ele não sabia dividir muito bem a atenção entre os dois corpos, e ela visivelmente tinha o corpo melhor, mesmo assim, continuamos até chegarmos todos ao ápice e não aguentarmos mais. Depois disso todos pegaram no sono, sempre tive o hábito de acordar primeiro e observar Diego dormindo, e isso que planejava fazer, mas então quando acordei no dia seguinte, ao abrir os olhos, me deparei com meu amado ensanguentado na cama, fiquei desesperada, a mulher estava no canto aos gritos, mas se eu não havia feito nada, quem mais teria feito, sem contar que eu mal conhecia aquela mulher. Em todo seu desespero ela realmente parecia inocente, mas o que mais poderia ter sido? Talvez ela quisesse dinheiro e ele a surpreendeu tentando roubar, só sei que quando pude ver um pouco melhor, percebi várias marcas de unha naquele corpo moribundo. De repente, parei por um instante e observei minhas mãos, eu não me lembrava do que essas mãos haviam feito, mas agora que me recordo a sede de sangue aumenta. Ninguém mais sabia de nossos paradeiros, então pego o cutelo na cabeceira da cama, irei satisfazer todas as minhas vontades esta noite.

Obs: Trabalho de práticas midiáticas, 1º período de Jornalismo da FACHA - Botafogo.

quarta-feira, 22 de março de 2017

PM noite 01

Quando vi teus lindos olhos negros, eles me despiam, mas não queria que me despisse apenas com os olhos, com as mãos também. Fiquei perplexa, almejando fazer versos com teus lábios, poesia em teu corpo. Sentir teu gosto, chegar ao paraíso, clamando por mais. Quero sentir teus músculos, o prazer exalando através de nossos corpos, um misto de tudo ou nada. Chegar ao ápice, enquanto sussurra em meu ouvido, mil versos de amor.

Obs: Trabalho de práticas midiáticas, 1º período de Jornalismo da FACHA - Botafogo.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Quando olho para trás

Como é difícil ter que esquecer, que tuas mãos tocaram meu corpo, que fui tua mais uma vez, mesmo que por apenas uma noite. não quero esquecer, por isso luto contra minha memoria fraca, as marcas ajudam a lembrar, toda a dor, tanto física quanto psicológica. De meus olhos escorriam inúmeras lagrimas, me senti como um papel barato, rasgada, aos pedaços, sem conseguir me recompor, manter a pose de quem a muito já te esqueceu. Preciso disso mais uma vez, nem que seja por apenas mais uma misera noite, preciso ser sua, preciso me sentir amada novamente, sentir que valho alguma coisa.

Olhos bem fechados

Percorro as curvas de teu corpo, com os lábios. Você tem o calor e a intensidade de mil sóis, penetrantes, profundo, e então de repente eu simplesmente sei, que dessa vez vale à pena, se entregar, planejar. Você é paz, calmaria, e ao mesmo tempo revolução, arrebatamento. Me envolvo em teus braços , a vida nunca foi fácil, mas agora nada mais parece importar. Não preciso olhar nos teus olhos para saber que é isso que quero, ou talvez eu precise, mais uma vez. Eu fujo desses sentimentos, em câmera lenta, e então já não há mais como escapar. Não quero mais ser aquela garota que tem medo de ficar sozinha, mas a paz de espirito assusta, ela parece irreal.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Irreversível

Não há como consertar o que já começou errado, aí vem o trem que vai me levar para bem longe, ele levará toda a dor embora, ela cortava muito fundo. Já tomei vários golpes da vida, de novo, e de novo, nada parecia valer à pena, ou sequer ser duradouro. Mais uma vez eu pego esse trem, para longe da dor, mais uma dose, mais uma carreira, mais um trago, mais um comprimido, só mais uma bala, ou até mesmo, quem sabe uma cartela. Não reze a Deus para te ajudar, não há ninguém para escutar, não há mais volta. Mais de um ano se passou, nada mudou positivamente, continuo sendo escrava de meus pensamentos, de todo meu pessimismo. Não há como voltar atrás, já não há mais como consertar as coisas, precisamos aceitar isso, de uma vez por todas. Seus olhos já não têm mais o mesmo brilho, os lábios não têm mais a mesma cor, o sorriso o mesmo encanto. Seu rosto parece envelhecido, expressão cansada, cortesia do tempo. Realmente, mudar pela pessoa errada de nada adianta, e não importa o quanto você me tratasse bem, jamais seríamos, ambos, a pessoa certa um para o outro. E o tempo, a tudo devora, consome. Tento desesperadamente encontrar outras bocas, na vã esperança de que meus sentimentos mudem, de que eu não sinta mais nada, pois só eu sei o quanto você me afeta, o quanto balança meu mundo, e o quanto dói ter que esconder isso de todos, o quanto eu queria que todos esses lábios, fossem apenas os seus.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Dispensável

Cultura exacerbada, veloz. Vivemos numa sociedade dominada pela tecnologia, onde é mais fácil socializar pelo celular, do que olhar nos olhos de alguém. Ninguém mais se importa, há falta de empatia, as pessoas querem apenas saber de serem reconhecidas, "famosas". Eu não sinto sequer a mínima falta do passado, finalmente aprendi a me virar sozinha, e essa é a melhor sensação de todas. Tudo aquilo pra mim já está mais do que morto e enterrado, você é apenas um mero estranho que jamais conheci verdadeiramente, e sequer faço a mínima questão de conhecer. Tenho pressa, de conhecer pessoas novas, de ter uma vida melhor, já não preciso mais de você, talvez até mesmo, nunca tenha precisado.

Prazer efêmero

Aconteceu algo hoje, nossos lábios se tocaram, brevemente, e assim eu ganhei meu dia. Cama fria, sombria, vazia, se contrasta a histeria com que antes nossos corpos se encontravam. De forma violenta, fugaz, sagaz. E o presente, outrora tão doce, tornou-se apenas um líquido amargo, que somos obrigados a tomar. Nosso suor se mistura, enquanto me pergunto se ainda sinto algo por você. Nossos corpos se encaixando, seus olhos castanhos, escuros, quase negros, eles brilham. Nossos lábios devoravam-se, com tamanha intensidade, que jamais encontrei igual. Nossas mãos tinham pressa, de explorar, chegar ao lugar tão desejado. O ápice de nossos corpos, sem nenhum pudor, apenas ansiando por mais, sem parar, nunca parece o bastante. Sempre quero mais de teu corpo, mais de tua mente, quero ser teu mais profundo desejo, tudo que você jamais teve, e acima de tudo quero ser amada, com tamanha voracidade, que jamais irei querer saber de qualquer outra coisa. Quero ser domada, dominada, por esses olhos que queimam, resplandecem. Quero sentir tuas mãos, tua força, teus olhos calmos a admirar meu corpo, quero sentir tudo que jamais senti antes.

Brilho eterno de uma mente sem lembranças

Tenho um vislumbre da perfeição que é teu corpo nu, minha boca se põe a explorar, tudo o que fazemos é inocente, inofensivo. Mudei completamente por você, e de nada adiantou. Como seria bom poder esquecer, felizes são os esquecidos, com o brilho eterno de uma mente sem lembranças. Seu maldito cheiro no meu travesseiro, esse cheiro que agora eu odeio e parece que nunca vai embora. Pensei que pudéssemos superar qualquer coisa, que fossemos fortes o suficiente, porém eu estava enganada. E mais do que tudo, me deixei levar, por uma esperança vã de que tudo ficaria bem. Os machucados doem, minha cabeça dói, e só de pensar que foi você mesmo, quem causou tudo isso.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Irreparável - Parte 2

Fecho os olhos com força, enquanto passamos entre os carros, meus cabelos voam com o vento. Me sinto invencível, veloz, me sinto viva. Apenas a tragédia pode unir pessoas, como nada mais une. Apenas a tragédia pode fazer com que nossos lábios se encontrem mais uma vez, ou que a briga acabe logo com tudo. Violência, uma comédia divina, justo a pessoa que alega mais te amar é a que mais te machuca. Quão doce é a ironia do destino, quando os amigos que você achou que estariam sempre lá por você, simplesmente se vão, e você recebe a ajuda de onde menos esperava. Noites em claro, em vão, noites amargas, solidão, o vazio mais uma vez insiste em me consumir, não quero deixar que ele se aposse de mim, mas porquê então é tão difícil, simplesmente seguir em frente?

Irreparável - Parte 1

Te avisaram tanto para tomar cuidado comigo, quando na verdade eu que deveria ter tomado cuidado com você. Muitas coisas mudaram em mim, como o brilho dos olhos que se esvaiu, foi extinguindo-se mais a cada nova decepção. Como o fato de que eu não suporto mais a cor verde, cor da esperança? Me poupe. Você me machucou, quando tudo que eu queria era te ajudar, fechou as mãos em volta de meu pescoço, me deixou sem ar, e aquele inferno parecia nunca ter fim. Você apertou com força, deixou marcas, não só as físicas, mas também marcas internas irreparáveis. Eu revidei, mas simplesmente porquê não podia ficar quieta enquanto você me machucava, abusava de mim, física e mentalmente. Mas não vou deixar que isso me mude, não mais do que já me mudou, você não merece mais sequer um centavo da minha atenção, passar bem.

sexta-feira, 3 de março de 2017

A trilha

Teu sorriso, o mais belo de todos. De que adianta apagar as fotos, se as imagens continuam na cabeça? Me apego ao pensamento de que se for pra ser, um dia será, mas não quero mais ter que esperar pra ver, não quero mais perder tempo. Amar, e ser amado de volta, é a melhor coisa que existe, e ter que ficar longe é a pior. Ah se eu soubesse a falta que você me faria, ah se eu soubesse o quanto me arrependeria, teria trilhado um caminho bem diferente, até teus braços.

Resplandecente

Não quero olhar em seus olhos enquanto fazemos algo, não quero me permitir sentir mais uma vez. Seu beijo contido, delicado, hipnotizante. Gosto de sentir o ritmo da sua respiração, enquanto estou deitada em seu peito, quente, acompanhado de teu cheiro suave. Parcialmente iluminados, pela luz do luar. Enquanto nossos pés brincam entre si, você passa a mão em minha orelha, passo a mão em seu cabelo e sinto seu coração acelerado. Somos apenas eu e você esta noite, ninguém mais para atrapalhar.