domingo, 18 de junho de 2017

Associação

Cada lugar trás uma lembrança diferente, sinto falta de como as coisas eram, simples e felizes. O mais difícil é admitir, que ainda espero pela sua volta. Porque você me tortura assim? Ou talvez o mais difícil seja aceitar, o quanto você parece não se importar com mais nada. Você está bem? Agora já é menos escuro lá fora? Gostaria de ter notícias suas, é triste quando a gente se dispõe a realmente mudar por alguém, e a outra pessoa não está nem aí para isso. Posso ter meus defeitos, errar, mas eu jamais esnobaria o esforço de alguém para tentar me fazer feliz, para tentar continuar comigo ou pelo menos manter uma amizade. Associar coisas, músicas, lugares, a alguém, é o pior que se pode fazer, pois quando acaba, são apenas essas lembranças idiotas que ficam.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Ode à solidão

Será que algum dia realmente tudo ficará bem, ou melhor, será que ainda tenho forças para aguardar esse dia chegar? Creio que não. O peso do mundo sufoca, tudo cai sobre minha cabeça, palavras estranguladas, sentimentos que precisam morrer. Mas não tenho coragem de matar algo que sei que poderia ser tão bonito, só queria me sentir completa mais uma vez. Até o reflexo na janela do ônibus me incomoda, é difícil olhar para algo que se odeia tanto. Me sinto suja, mais uma vez, idiota. Gostaria de não conhecer tão intimamente essa pessoa refletida, não ter a consciência do quanto ela não vale nada. E eu nunca sonhei que conheceria alguém como você, e muito menos que quando isso acontecesse eu estragaria tudo. Penso em você 24 horas por dia, e mesmo assim ainda parece que é pouco tempo. Fechei os olhos, de cansaço, de repente senti o cheiro da sua respiração, pareceu tão real que quase chorei de emoção, sonhando com que de fato fosse verdade. Não queria abrir os olhos e perceber que foi tudo apenas um engano, mas eu precisava ter certeza. Me encontro no limite, entre real e imaginário. Quando começo a me perguntar porque isso tudo sempre acontece comigo, subitamente lembro que é minha própria culpa, e que eu mereço cada coisa ruim. Da janela, agora do trem, vejo tudo lá fora em movimento, o sol ilumina parcialmente meu rosto, porém não sinto o calor, já não sinto mais nada, além de um misto entre ódio, angustia, dor, decepção e o vazio, o vazio não pode faltar. E então vêm os pensamentos, do tipo, o que será que aconteceria se eu me jogasse na frente de um trem? Será que seria uma forma mais rápida de finalmente conseguir o que quero? Toda aquela luz que havia em meus olhos sumiu, ela já não existe mais, pois era apenas um reflexo dos seus. Qualquer outro beijo parece amargo, pensar em tocar qualquer outro corpo parece repugnante, nenhum outro par de olhos é capaz de ter o mesmo brilho. Nenhum outro corpo consegue me aquecer tão bem, nenhum outro toque faz com que me sinta completa. Porque não existe mais ninguém igual a você, com quem escolhi passar o resto da minha vida, uma pena, ser apenas mais um de meus devaneios. Temos que conviver com aquilo que fazemos, pelo resto de nossas vidas. Ou você se mata e dá logo um fim nisso tudo, ou aprende a conviver com a dor.

Demônios interiores

Tudo que eu queria é te sentir perto, te abraçar e nunca mais ter que soltar. Você não tem medo do futuro, cruel? Permaneço estática, tudo aparenta estar em câmera lenta, e não tenho ideia de como fazer isso parar. Preciso de um motivo, mas ele já não existe mais. Tudo que tenho agora são apenas memórias, sonhos fracassados, e não consigo enxergar mais nada além disso. Meus demônios interiores sempre estarão aqui, eles fazem parte de mim, me matam aos poucos, pena que não fazem isso logo de uma vez. E então eu sangro, eu choro, buscando desesperadamente qualquer meio de fazer com que a dor passe. Nada parece adiantar, mas talvez algum dia eu sangre o suficiente, para fazer com que tudo isso vá embora. Afinal, eu simplesmente não tenho mais forças, e muito menos motivos, para continuar. Só queria que você se preocupasse, a ponto de aparecer de surpresa do nada, mas sei que isso é apenas um devaneio. Boto aquele cordão que tem seu cheiro, quando sinto medo, para me sentir protegida, me sentir mais perto de você. Hoje acompanhei de perto como a vida é algo frágil, e que realmente basta estar vivo para morrer. Mas pelo menos já não sinto medo da morte, não tenho mais porque sentir, e essa sensação é muito boa. O que não é bom, é a sensação de que não tenho mais esse medo, pelo simples fato de que algo já morreu dentro de mim.

Buraco negro

Se eu pudesse permaneceria deitada, para sempre, apenas esperando a vida passar, ou simplesmente aguardando por um dia em que eu acorde e doa menos. Mas a cada dia é mais difícil ainda levantar, parece que o ânimo foge de mim. Minha vida se esvai aos poucos, e quanto mais rápido melhor, até o dia em que qualquer um que olhar em meus olhos, até mesmo os mais íntimos, nunca mais me reconhecerão. Me sinto perdida, vazia, e nada mais pode reverter isso. Então apenas aguardo pelo fatídico dia, em que meu maior desejo se realizará. Sinto dor no peito, constantemente, as crises de ansiedade, mas nada é pior do que o vazio que me consome, que transforma tudo em um breu total, sugando tudo de bom que já tive, como um buraco negro, até o dia em que não mais encontrarei a luz para enxergar o caminho de volta, será tarde demais.

Amor é dor

Você não tem noção do quanto é difícil, te ter perto e ao mesmo tempo tão longe, meu medo de te perder é bem maior do que eu pensava. Como já disse, espero que algum dia você possa me perdoar pelas coisas de errado que fiz, mesmo que eu jamais me perdoe. É tão difícil, não poder te abraçar, te tocar, te sentir, saber que te magoei de uma forma que você sequer era capaz de imaginar. Essa, era a última coisa que eu queria ter feito na vida, e mesmo que continuemos juntos, sempre terei consciência de que mereces alguém bem melhor, e de que jamais serei capaz de te fazer feliz o suficiente. Não me importo de fazer o que for preciso, para pelo menos tentar consertar as coisas, mesmo assim sei que nada pode apagar, ou até mesmo reparar, o que fiz. É torturante, querer tanto te ver, e ao mesmo tempo ter medo de que você me veja e perceba que já não sou mais o que quer.

Mais um dia

Nunca tive medo da morte, até te conhecer, agora me encontro constantemente com medo do que possa acontecer. Sempre tive receio apenas de perder pessoas queridas, a quem amo, ainda mais de quase dois anos atrás pra cá, quando senti na pele o que é perder alguém. Mas agora tenho esse medo da morte, por você, medo de como ficaria sem mim. Sinceramente, cheguei a pensar em terminar, após aquela nossa primeira briga, mas eu sabia que tinha que tentar mais, não podia simplesmente desistir assim tão fácil, de alguém que me faz tão bem, quando finalmente consegui o que sempre precisei e quis.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Maravilhosas descobertas

É difícil amar, de uma forma tão intensa, que chega a doer. Se alguém perguntar, o que fez com que eu me apaixonasse logo de cara, visualmente, diria que foi seu olhar, doce, meigo. Como pode algo ser tão belo e puro assim, e ao mesmo tempo consumir, devorar. Claro que primeiramente, por foto, o que me atraiu foram as entradas da sua barriga, quando eu ainda desconhecia o poder que seu olhar tem. Foi um tempo de maravilhosas descobertas, seu toque, seu beijo, o calor do seu corpo, o sorriso, ah o sorriso, esse sequer tenho palavras para descrever. E quando sei que sou motivo dele, não tem nada melhor. A saudade, às vezes machuca, só eu sei o quanto queria estar aí do seu lado agora. Mesmo assim sou obrigada a seguir, continuar vivendo a vida, trabalhos, faculdade, estar perto apenas em pensamento, e aproveitar o pouco de tempo que tenho pessoalmente, pra tentar demonstrar o quanto você é especial e importante para mim.

Expectativas

Será que fomos rápido demais? Será que mais uma vez me precipitei? Tenho esse maldito hábito, de me entregar logo de cara, criar expectativas irreais. Mas você realmente me fez acreditar, que elas poderiam se realizar, e nunca saberei lidar muito bem com as frustrações. Não me peça para mudar, para ser quem não sou, você me conheceu exatamente assim, e se deseja que eu seja de outro jeito, então não é por mim que está apaixonado, no máximo por uma versão de mim que sequer existe. Talvez eu não seja a única que cria expectativas, que passa dos limites em suas fantasias, mas se projetamos um no outro expectativas irreais, e se um não é o que o outro esperava, então qual é o propósito disso? Talvez algum dia, até mesmo nossas melhores lembranças, te deixem triste. Tentei ser uma luz em tua vida, que agora reconheço que não posso ser, quando já vi a escuridão tão de perto e gostei, me dou por vencida.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Adormecida

Cada dia é uma luta, para levantar, sair da cama, acreditar que será diferente, que valerá à pena, um dia menos deprimente. As ruas da memória me guiam, por caminhos tortuosos, tortura. Há momentos únicos e insubstituíveis, no bom sentido, mas também há os traumáticos, e estou cheia destes. Não entendo porque é bem mais difícil guardar um momento bom e esquecer um momento ruim, queria que toda a negatividade do passado não se fizesse tão presente assim em minha vida. E agora tudo que quero é passar o dia inteiro deitada, esquecer que o mundo lá fora existe, assistir um desenho, ignorar o quanto a vida real é uma droga, quando tenho que enfrentá-la sozinha. Já que não está aqui, vou dormir mais um pouco, aguardando até que você me desperte, só queria ainda ter mais alguns remédios.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Aquarela

Meu corpo clamava pelo teu, desesperadamente, de forma visceral. Assim como continua clamando, dia após dia. Não importa quanto tempo passemos juntos, nunca parece o suficiente. Quero cair das alturas, uma queda livre, em teu corpo, em tuas curvas. Quero saber que tudo isto é meu, para fazer o que eu bem entender, assim como tudo aqui é teu, podes fazer o que bem entenderes. Quero sussurros, gemidos, respiração ofegante, orgasmos, aquele olhar capaz de me tirar o chão, acompanhado de um sorriso safado. Mas ao mesmo tempo também quero cumplicidade, alegria, companheirismo, e sei que tudo isso posso encontrar em ti. Quando paro e penso em quantas vezes poderíamos ter nos conhecido antes, apenas sei que ainda não era o momento, você chegou na hora certa, pra dar mais cor a minha vida, no momento em que eu menos esperava, de um monocromático cinzento, quando fui parar para perceber, ela já havia se tornado aquarela.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Autossabotagem

Você provou que posso me permitir sentir mais uma vez, sem o tão temido receio das consequências. Mostrou que eu estava errada em acreditar que o amor não era pra mim, que meu destino era ficar sozinha, e que não poderia mais ser feliz. Mesmo assim tenho muito medo, medo de ainda ser a mesma pessoa, de te magoar, de praticar aquela mesma autossabotagem de sempre. Certa vez me disseram que faço coisas erradas como uma forma de sabotar minha própria felicidade, por achar que não mereço o que tenho, pela minha enorme falta de auto estima. Mas às vezes, parece que simplesmente não consigo controlar isso. Quando percebo já fiz, e nem eu mesma consigo entender os motivos, ou pior, às vezes eles fazem sentido somente em minha própria cabeça e realmente acredito estar certa. Não quero que esse mesmo ciclo vicioso se repita, não quero ser essa pessoa pra você, aquela que vai te encher de traumas e medo de abrir o coração novamente no futuro. Não quero fazer com você o mesmo que alguém fez comigo, e que por consequência fiz com outras pessoas, como se justificasse. Apenas continue me provando que estou errada, que posso mudar de verdade, e que dessa vez pode finalmente ser diferente, dar certo, realmente valer à pena, para ambos os lados.

domingo, 21 de maio de 2017

Preciso de você

Angustia, choro preso, como a chuva tímida que não sabe se cai ou não. Olhos cheios d'águas, garganta que arranha, que pesa, entalada. Sinto falta de seus olhos sorrindo para mim, de seu corpo trazendo-me segurança, aconchego, naquele abraço apertado. Nem parece que nos vimos hoje mais cedo, queria mais uma dose, mais uma dose de você. Gosto de contar minhas histórias, de como você as ouve, sempre tão interessado, não sei como alguém pode aguentar, e até mesmo gostar, de uma pessoa que fala tanto. Às vezes tudo de que preciso é cantar alto, na rua, na chuva, extravasar, sem me importar com quem vai escutar. Mas agora, sinceramente, tudo de que preciso é do seu abraço, sua proximidade, daquela forma como só você me olha, como se eu tivesse um encanto, que sequer sabia que tenho.